Alonso Teixeira Miguel
Alonso Teixeira Miguel Secretário Regional do Ambiente e Alterações Climáticas






Telefone:
Fax:

Nota de Boas Vindas

As nossas ilhas são reconhecidas pelos seus elevados níveis de qualidade ambiental, pelo que é necessário salvaguardar todo o seu património natural, através da conservação e preservação da natureza, bem como mitigar os efeitos das alterações climáticas.

A Secretaria Regional do Ambiente e Alterações Climáticas tem como missão garantir a manutenção da qualidade ambiental, a conservação da natureza, a proteção dos ecossistemas, bem como a gestão dos recursos hídricos e um eficiente ordenamento do território.  

Esta Secretaria estabeleceu como prioridade a aposta na produção de energias renováveis, reforço da aposta na microprodução energéticas, assim como, pretender avançar na transição para a mobilidade elétrica. Outra prioridade será a melhoria da eficiência na prevenção e gestão de resíduos da Região.

Daremos também especial atenção à gestão dos recursos hídricos e à proteção dos ecossistemas mais debilitados e sensíveis. Prosseguiremos uma verdadeira política de ordenamento do território, de proteção da paisagem, de valorização ambiental, integrando a sociedade civil e envolvendo as autarquias locais e todos os agentes económicos.

Todos temos o dever de garantir a nossa sustentabilidade no presente sem comprometer as gerações vindouras.

Próximos eventos De momento não há eventos a reportar. Pode consultar mais itens, clicando abaixo.
Governo dos Açores avança com processo de reestruturação dos Centros de Processamento de Resíduos, assegura Alonso Miguel
Nota de Imprensa
23 de Novembro 2021
Governo dos Açores avança com processo de reestruturação dos Centros de Processamento de Resíduos, assegura Alonso Miguel
O Secretário Regional do Ambiente e Alterações Climáticas, Alonso Miguel, adiantou na terça-feira, no Faial, que o Governo dos Açores vai avançar com o processo de reestruturação dos Centros de Processamento de Resíduos, para adaptação para adaptação ao processo de compostagem da recolha seletiva de orgânicos, através de um investimento de 2,85 milhões de euros no próximo ano.  No que concerne à “operacionalização das medidas instituídas para a promoção de uma melhor qualidade ambiental, é essencial referir o investimento consagrado para a melhoria da gestão de resíduos e para o fomento da economia circular”, garantiu Alonso Miguel.  Durante a sua intervenção no debate parlamentar do Plano e Orçamento de 2022, o governante salientou que “importa destacar a elaboração do Roteiro de Economia Circular Regional” que representará um instrumento decisivo na definição dos objetivos estratégicos a concretizar em nome de uma “Região mais preparada e capacitada para uma economia sustentável e circular”. Para o Secretário Regional do Ambiente e Alterações Climáticas, este “Plano de Investimentos confirma um novo paradigma das políticas públicas, que começou com a apresentação do plano de investimentos de 2021”. O Plano de investimentos da Secretaria Regional do Ambiente e Alterações Climáticas para 2022 assume “pilar fundamental e transversal da ação governativa para o desenvolvimento sustentável da Região”, valorizou. Referindo-se ainda ao Plano de Investimentos, o governante acentuou que é um “compromisso de um Governo responsável que, no espaço de apenas um ano, foi capaz de construir um novo ciclo de progresso e desenvolvimento, que a cada dia se consolida e se torna mais visível em todas as ilhas”. Com uma dotação de aproximadamente de 27,5 milhões de euros, “este é o maior plano de investimentos dos últimos oito anos e um dos maiores de sempre” da Autonomia, “no domínio do Ambiente”, com um aumento de cerca de 8,5 milhões de euros em relação a 2021, salientou.  No âmbito das competências e atribuições da Secretaria Regional do Ambiente e Alterações Climáticas, o Plano de Investimentos reafirma a “importância do combate às alterações climáticas, da preservação do património natural, da promoção da qualidade ambiental, da gestão eficiente dos recursos hídricos e de um adequado ordenamento do território”, enfatizou. No que diz respeito aos impactos futuros das alterações climáticas, segundo o Secretário Regional, a adaptação é um propósito que deve “nortear as políticas públicas ambientais, em nome do presente e do futuro das nossas gentes, da nossa economia e do nosso património natural”.  Já a propósito, do Projeto LIFE IP CLIMAZ, com um investimento previsto de cerca de 3,5 milhões de euros para 2022, Alonso Miguel assegurou que o Governo Regional continuará a executar como um “instrumento fundamental na operacionalização das necessárias respostas para a adaptação aos efeitos das alterações climáticas, ao mesmo tempo que dará também início a novos investimentos”.  “Estamos certos do trabalho que estamos a realizar”, realçou Alonso Miguel, prosseguindo que “o caminho do futuro se constrói com convicção”. “O nosso compromisso é servir os Açores e os Açorianos.”, concretizou. Nota relacionada: Intervenção do Secretário Regional do Ambiente e Alterações Climáticas
highlight more
 Acesso à Fajã de São João, na Calheta de São Jorge, obstruído devido a derrocada
Nota de Imprensa
22 de Novembro 2021
 Acesso à Fajã de São João, na Calheta de São Jorge, obstruído devido a derrocada
O Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA) informa que foi registada hoje uma derrocada que está a obstruir o acesso à Fajã de São João, no concelho da Calheta, ilha de São Jorge. A ocorrência foi notificada ao SRPCBA pelas 07h30 (hora local), através da Câmara Municipal da Calheta. Neste momento, aguarda-se um ponto de situação relativamente à extensão e dimensão dos danos, assim como a previsão para se proceder aos trabalhos de desobstrução da estrada que permita o livre acesso à fajã. Encontram-se isolados 32 habitantes da Fajã de São João, não havendo vítimas a registar. Segundo o Coordenador do Serviço Municipal de Proteção Civil de Calheta, que está no terreno, existem boas comunicações, quer via rede móvel, quer via rádio. No local, encontram-se elementos dos Bombeiros da Calheta, da Direção Regional de Obras Públicas e Transportes Terrestres e do Serviço Municipal de Proteção Civil da Calheta. Está também a ser preparado um drone da Secretaria Regional do Ambiente e Alterações Climáticas para dar apoio à situação. Por questões de segurança, o SRPCBA solicita à população que não se dirija à zona afetada. O SRPCBA continua a acompanhar a situação, emitindo novas informações sempre que se justifique.
highlight more