Últimas notícias
‘Workshop’ de formação de professores CanSat Junior Açores decorreu no Observatório Astronómico de Santana
Nota de Imprensa
14 de Fevereiro 2024
‘Workshop’ de formação de professores CanSat Junior Açores decorreu no Observatório Astronómico de Santana
No começo do mês, um total de 16 professores participaram no ‘workshop’ CanSat Junior Açores, que assinala o arranque da segunda edição deste projeto na Região. A formação decorreu nas instalações do OASA – Observatório Astronómico de Santana, e esteve a cargo do ESERO-Portugal/Ciência Viva, com a colaboração da Estrutura de Missão dos Açores para o Espaço (EMA-Espaço), no âmbito de uma parceria entre aquela instituição e o Governo dos Açores, através do Gabinete do Subsecretário Regional da Presidência. O CanSat Júnior Açores é uma das ações incluídas na Estratégia dos Açores para o Espaço – Eixo Divulgação, Educação e Cultura Científica para o Espaço. Destinado aos alunos do 3º ciclo do ensino geral, o CanSat Junior consiste na simulação de um projeto espacial “real”: construção, programação e lançamento de um microssatélite equipado com subsistemas de processamento de dados, sensores, sistema de alimentação e de comunicações, conceptualmente idêntico ao de um satélite real. Durante o lançamento e descida controlada por um paraquedas, o pequeno satélite do tamanho de uma lata de refrigerante comunica com uma estação base, também ela construída e operada pelos alunos. O objetivo é proporcionar aos jovens a participação num projeto colaborativo, disruptivo e transformador, onde as ciências e tecnologias espaciais se articulam com o currículo do ensino geral, proporcionando uma experiência enriquecedora e de verdadeiro trabalho em equipa, motivando, igualmente, os jovens a percursos académicos no domínio das carreiras STEM (Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática), com ligação direta ou indireta ao setor aeroespacial. Criado em Portugal pela delegação nacional do ESERO, esta segunda edição regional do CanSat Junior – que decorre em maio em Santa Maria - envolve cerca de 100 participantes, num total de 15 equipas oriundas de oito ilhas do arquipélago.
camera detail
highlight more
Aprovado regime de acesso e exercício de atividades espaciais
Nota de Imprensa
7 de Fevereiro 2024
Aprovado regime de acesso e exercício de atividades espaciais
Foi publicado na passada semana o diploma do Governo da República que procede à alteração do Decreto-Lei n.º 16/2019, de 22 de janeiro, que aprova o regime de acesso e exercício de atividades espaciais. Estão finalmente criadas as condições políticas, jurídicas e legais para que as atividades espaciais se desenvolvam rapidamente nos Açores e se instale um nó de acesso e retorno do espaço. O Governo dos Açores, após a adoção da Estratégia Regional para o Espaço, promoveu um profícuo diálogo com o Governo da República no sentido de rever o quadro da intervenção pública no desenvolvimento das atividades espaciais na Região Autónoma dos Açores. O Decreto-Lei que agora entra em vigor vem atualizar os pressupostos que determinam a atratividade da utilização dos Açores por parte dos operadores do sector espacial, que tem merecido um forte desenvolvimento nos últimos anos. Assim, a concretização deste objetivo, em aplicação do Decreto-lei nº 20/2024, de 2 de fevereiro, decorrerá da intervenção direta da ANACOM, definida legalmente como autoridade nacional para o Espaço, e da Agência Espacial Portuguesa, da qual a Região Autónoma dos Açores é parte societária, que detém as competências de promoção do setor em Portugal junto dos operadores e de acompanhamento dos processos de licenciamento das atividades. Nos termos do mesmo diploma, a Região Autónoma dos Açores, no exercício das suas competências políticas, pronunciar-se-á através de parecer vinculativo sobre cada um dos pedidos de licenciamento para atividades a serem desenvolvidas na Região. Pela sua participação na Agência Espacial Portuguesa e pela importância que o desenvolvimento deste setor terá no desenvolvimento socioeconómico da Região, o Governo dos Açores tem trabalhado em articulação com a Agência Espacial Portuguesa para que a promoção da Região e a criação de condições de atratividade e sinergias garantam que, num futuro próximo, existam desenvolvimentos que culminem na concretização dos projetos tão aguardados, que incluem as operações de retorno do espaço, voos de teste e lançamentos orbitais. O Governo dos Açores considera que este diploma é um passo determinante para o acompanhamento da Região num setor de atividade que tem tido um crescimento muito rápido, e para o qual a localização dos Açores é especialmente relevante, e permitirá desenvolver um ecossistema espacial, particularmente na ilha de Santa Maria.
highlight more