12 de Novembro 2022 - Publicado há 17 dias, 9 horas e 9 minutos
Governo dos Açores reativa Plano de Prevenção e Controle da Infeção e da Resistência aos Antimicrobianos
location Angra do Heroísmo

Secretaria Regional da Saúde e Desporto

A Secretaria Regional da Saúde e Desporto reativou nos Açores, em maio passado, através da Direção Regional da Saúde, o Programa de Prevenção e Controle da Infeção e da Resistência aos Antimicrobianos.

Neste âmbito, foi também nomeada uma coordenação regional, cuja principal responsável é Magda Sousa.

Esta semana, a equipa coordenadora regional e responsáveis nacionais reuniram-se em Angra do Heroísmo, para definir objetivos. No encontro esteve presente o coordenador nacional, José Artur Paiva.

O PPCIRA visa promover a redução das taxas de infeção associada aos cuidados de saúde, principalmente através da prevenção da sua transmissão, pela criação de condições para uma redução das resistências aos antimicrobianos, nomeadamente promovendo o uso correto destes fármacos.

No encerramento do encontro, esta sexta-feira, o Secretário Regional da Saúde e Desporto referiu que a candidatura ao Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) do sistema de informação e vigilância epidemiológica na Região Autónoma dos Açores, anunciada na abertura dos trabalhos, pelo Diretor Regional da Saúde, “foi uma proposta da coordenação regional”, acolhida pelo Executivo “com agrado”.

“Pretendemos avançar com a implementação de um sistema que seja também ele mais um instrumento, mais uma ferramenta para podermos alcançar melhores resultados”, frisou.

Clélio Meneses considera “muito importante” alcançar níveis de qualidade e segurança em saúde “nomeadamente através da prevenção e controlo da infeção em contexto hospitalar e também através de controlo da prescrição de antibióticos e todas as outras matérias relacionadas com este programa”.

“Sei bem que, muitas vezes, as pessoas obtêm uma infeção ou uma situação menos agradável, num contexto que supostamente era para garantir saúde. Isto cria em nós próprios e aos profissionais de saúde, para além do doente, um sentimento de frustração complicado e, por isso, é importante termos todas as ferramentas, todos os mecanismos, quer seja ao nível do conhecimento, quer seja ao nível de instrumentos, de equipamentos, para garantir esta qualidade e segurança na prestação de cuidados de saúde”, frisou.

O Diretor Regional da Saúde expressou a convicção de que o projeto “bem desenvolvido e com a devida valorização, terá um impacto importantíssimo no utente, nos cuidados de saúde que são prestados e com ganhos económicos para a saúde”.

Berto Cabral disse também que o envelhecimento da população, exige dos cuidados de saúde e da sociedade, respostas para as quais muitas vezes não estamos preparados, quer com recursos profissionais quer financeiros, por exemplo, sendo necessário garantir alguma sustentabilidade aos cuidados de saúde, transformando e investindo para diminuir custos operacionais”.

O responsável considerou que a candidatura do sistema de informação de vigilância epidemiológica ao PRR, “é um passo importante na transição digital e na simplificação dos processos”, para obtenção de vários ganhos.

© Governo dos Açores

Partilhar