22 de Setembro 2022 - Publicado há 68 dias, 12 horas e 54 minutos
Projeto Ilhas de Inovação está “centrado nas oportunidades de diversificação das economias das regiões”, afirma Pedro de Faria e Castro
location Horta

Subsecretário Regional da Presidência

O Subsecretário Regional da Presidência afirmou hoje, na Horta, que, para o Governo dos Açores, o “projeto Ilhas de Inovação esteve centrado nas oportunidades de diversificação das economias das regiões parceiras do projeto de modo a melhorar as suas respetivas políticas de inovação”.

Pedro de Faria e Castro, que presidia à sessão de abertura da Conferência Final do Projeto Ilhas de Inovação, ao abrigo do INTERREG Europa, que decorreu na ilha do Faial, salientou que hoje “é um grande dia” para os Açores, onde, “com grande entusiasmo”, se recebeu “os parceiros da Frisia, da Estónia, da Dinamarca e da Madeira em pleno centro do Atlântico”.

A Conferência Final do Projeto ‘Ilhas de Inovação’ apresentou os resultados do trabalho desenvolvido ao longo do ano de 2022, no qual os Açores foram uma região piloto ao nível internacional, tendo sido organizados diversos ‘workshops’, com base num tema único: o turismo (RIS 3 Açores).

“Decidimos avançar com o tema do «Turismo e a Inovação», selecionando três ilhas, representativas de cada grupo: no Grupo Ocidental (Flores), no Central (Faial) e no Oriental (Santa Maria)”, sustentou o governante, evidenciando que foram “encontros muito produtivos onde se pode auscultar as preocupações, mas também propostas de soluções, visando o tema do turismo e da inovação em cada uma dessas ilhas”.

Pedro de Faria e Castro reiterou que estas “ações, no entender do Governo dos Açores, merecem ser tidas em conta num processo de auscultação que partiu de baixo para cima e que poderá certamente influenciar políticas públicas no futuro”.

“Esta é a importância do Ilhas de Inovação, ou seja, promover sinergias entre as várias partes e fazer da inovação uma prática comum nas nossas ilhas e nas nossas regiões”, disse.

Ao finalizar a sua intervenção, Faria e Castro apelou para que “vejam os Açores como um potencial local para congressos internacionais, para um privilegiado laboratório de testes que permitam enaltecer a ciência e inovação, devido aos nossos recursos naturais e pequena dimensão, como um ponto central do Atlântico de fácil acesso entre continentes ou como um local privilegiado para ‘networking’ internacional”.

© Governo dos Açores | Fotos: SSRP

Partilhar