30 de Outubro 2023 - Publicado há 228 dias, 16 horas e 12 minutos
Governo dos Açores cria “Escola de Negócios” para apoiar empreendedorismo, criação do próprio emprego e desenvolvimento local
location Ponta Delgada

Secretaria Regional da Juventude, Qualificação Profissional e Emprego

O Governo dos Açores, através da Secretaria Regional da Juventude, Qualificação Profissional e Emprego, acaba de criar a “Escola de Negócios” para apoiar o empreendedorismo, a criação do próprio emprego e o desenvolvimento do tecido empresarial local através da criação de micro e pequenas empresas.

Esta nova medida destina-se a desempregados com escolaridade obrigatória ou, no mínimo, o 9.º ano de escolaridade, a recém-diplomados (com o nível igual ou superior ao nível IV) e a estagiários que tenham concluído o estágio há menos de seis meses, sendo atribuída aos participantes uma bolsa de formação mensal no valor correspondente ao Indexante dos Apoios Sociais, explicou hoje Maria João Carreiro.

De acordo com a Secretária Regional da Juventude, Qualificação Profissional e Emprego, que falava na sessão de apresentação da “Escola de Negócios”, no Restaurante Anfiteatro, em Ponta Delgada, esta nova medida, promovida pela Direção Regional de Qualificação Profissional e Emprego, vai arrancar até ao final de 2023 com um projeto-piloto nos concelhos de Nordeste, em São Miguel, e da Praia da Vitória, na ilha Terceira.

A “Escola de Negócios é estruturada em três fases.

Na 1.ª fase (Ideia de Negócio), o objetivo é capacitar os participantes em áreas essenciais ao empreendedorismo e à abertura de um negócio, através de formação específica e à medida, sessões de brainstorming com empresas já estabelecidas no mercado, diagnóstico de necessidades locais e elaboração de uma ideia de negócio a apresentar a um júri que vai integrar, entre outros, um membro da comunidade local.

Na 2.ª fase (Projeto de Negócio), os participantes serão desafiados a elaborar um plano de negócio que apresente viabilidade económica e financeira e que seja suscetível de criar o próprio emprego do participante.

Na 3.ª e última fase (Abertura do Negócio) é atribuído um apoio financeiro às micro e pequenas empresas que, tendo sido implementadas na sequência das fases anteriores, tenham iniciado a sua atividade e gerado a criação do próprio emprego do participante. Este apoio corresponde a 18 vezes a Retribuição Mínima Mensal Garantida na Região e é cumulável com outros apoios ao investimento como as medidas “Jovem Investidor” e “Pequenos Negócios”, integradas no novo Sistema de Incentivos Construir 2030.

“Problemas diferentes exigem respostas diferenciadas”, afirmou Maria João Carreiro, para valorizar o contributo que esta nova medida, que inclui apoio técnico e financeiro e “integra numa mesma fórmula empreendedorismo, autoemprego e desenvolvimento do tecido empresarial local”, pode promover para a “fixação de população nos concelhos e localidades mais rurais e para coesão social e económica”.

A seleção dos participantes na “Escola de Negócios” caberá às entidades formadoras envolvidas nesta medida, designadamente nas fases 1 e 2, em articulação com o Centro de Qualificação e Emprego.

Na sessão de apresentação da “Escola de Negócios” decorreu ainda uma reflexão sobre empreendedorismo e criação do próprio emprego com João Rocha, fundador da The Barbershop by João Rocha, Paula Rego, fundadora da Queijaria Furnense, e Inésia Pontes, Diretora Executiva da Cresaçor, moderada por Nuno Gomes, Diretor Regional de Qualificação Profissional e Emprego.

Estiveram presentes na sessão, entre outros, dirigentes da Delegação Regional dos Açores da ANAFRE, Manuel António Soares, Presidente, e José Leal, o Presidente da Associação Agrícola dos Açores, Jorge Rita, o Diretor Regional da Juventude, Eládio Braga, o Presidente do Conselho Diretivo do Centro de Qualificação dos Açores (CQA), Acir Meirelles, formandos do CQA e da Escola de Formação Turística dos Açores.

© Governo dos Açores | Fotos: SRJQPE

Partilhar