7 de Novembro 2022 - Publicado há 618 dias, 1 horas e 26 minutos
Pico e São Jorge recebem conferências sobre presença açoriana no sul do Brasil
location Angra do Heroísmo

Presidência do Governo Regional

O Governo dos Açores, através das direções regionais das Comunidades e dos Assuntos Culturais, promove a realização de duas conferências sobre a presença açoriana no sul do Brasil, nas ilhas do Pico e de São Jorge, nos dias 14 e 15 de novembro, respetivamente.

As conferências, agendadas para as 20h30 e dedicadas às comemorações dos 275 anos da presença açoriana em Santa Catarina e dos 270 anos da presença açoriana no Rio Grande do Sul, contam com as intervenções e contributos do Professor Sérgio Luiz Ferreira, presidente da Casa dos Açores de Santa Catarina, e de Viviane Peixoto Hunter, presidente da Casa dos Açores do Rio Grande do Sul.

Na ilha do Pico o evento terá lugar no Museu dos Baleeiros, nas Lajes do Pico, enquanto em São Jorge será o Museu Francisco Lacerda, na Calheta, a receber a iniciativa. As conferências têm entrada livre e estão disponíveis a todos os interessados.

Para além dos conferencistas, marca também presença nestas sessões o Diretor Regional das Comunidades, José Andrade.

Estas conferências têm ainda como objetivo dar a conhecer o legado açoriano no sul do Brasil, aprofundando o conhecimento nos Açores sobre o fenómeno migratório para estes estados.

O Brasil foi o primeiro grande destino da emigração açoriana, impulsionado pela necessidade de povoar os territórios mais a sul do país. A primeira leva de açorianos com destino ao estado de Santa Catarina partiu do arquipélago em outubro de 1747. Menos de três meses depois, a 6 de janeiro de 1748, chegaram à Ilha de Santa Catarina. O desembarque desses açorianos viria, porém, a ser realizado somente a 22 de fevereiro de 1748.

Poucos anos depois, deu-se uma grande leva de açorianos para o território onde hoje é o Rio Grande do Sul.

Estima-se que entre 1748 e 1752 tenham migrado para o sul do Brasil cerca de 6.500 açorianos.

Os dois estados apresentam atualmente, no seu quotidiano e no das suas gentes, um forte legado e presença açoriana, influência que se reflete na cultura, gastronomia, arquitetura ou religião.

© Governo dos Açores | Foto: GRA

Partilhar