5 de Setembro 2022 - Publicado há 30 dias, 7 horas e 41 minutos
Serviço de radioncologia na Terceira já realizou dois mil tratamentos e ajudou 150 doentes, anuncia Clélio Meneses
location Angra do Heroísmo

Secretaria Regional da Saúde e Desporto

O Serviço de Radioncologia no Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira já realizou cerca de dois mil tratamentos, apoiando 150 doentes, revelou hoje o Secretário Regional da Saúde e Desporto, Clélio Meneses.

O governante visitou esta segunda Unidade nos Açores, assinalando um ano de atividade após o reativar do processo e a implementação deste serviço de saúde, como era desígnio do atual Governo Regional, fazendo que chegasse ao fim avanços e recuos verificados ao longo do tempo.

“Este serviço abriu para benefício das pessoas. Houve determinação política e uma relação de confiança com a entidade concessionária do Serviço [Joaquim Chaves Oncologia] que permitiu a sua abertura”, salientou o titular da pasta da Saúde em declarações aos jornalistas, referindo que grande parte das opiniões contrárias a este investimento “não queria ou não acreditava na concretização deste serviço na Terceira”. 

“O que temos de ter é determinação positiva para se concretizar aquilo que beneficia as pessoas”, reforçou Clélio Meneses.

Considerando a duração de cerca de 20 minutos de um tratamento desta natureza, e que grande parte dos doentes mantém a sua atividade laboral, o Secretário Regional da Saúde e Desporto destacou a importância do Serviço de Radioncologia no Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira na perspetiva de contribuir para o sucesso do próprio tratamento. 

“Se não houvesse este serviço aqui, teria de ser realizado noutro lugar que implicaria deslocações de avião. A doença já tem o seu impacto negativo, por isso manter as pessoas no seu meio familiar, social e laboral permite diminuir os constrangimentos causados”, declarou o governante.

Clélio Meneses revelou que a maioria dos doentes do Serviço, cerca de 90, são da Terceira e os restantes de outras ilhas dos Açores, frisando as mais valias da complementaridade entre a resposta que é possível dar na Rregião.

“O serviço na Terceira está aberto a todos os doentes da região de forma complementar ao serviço que existe em São Miguel. O objetivo é dar uma resposta de proximidade, com altos índices de performance clínicos e, por isso, temos todas as condições para atenuar o problema que é a doença”, declarou.

© Governo dos Açores | Fotos: SRSD

Partilhar