7 de Maio 2024 - Publicado há 44 dias, 2 horas e 9 minutos
Governo dos Açores promove segunda edição do Festival das Reservas da Biosfera de Portugal na ilha de São Jorge
location São Jorge

Secretaria Regional do Ambiente e Ação Climática

O Secretário Regional do Ambiente e Ação Climática, Alonso Miguel, presidiu à abertura do Seminário “Territórios Sustentáveis, comunidades resilientes”, no âmbito do II Festival das Reservas da Biosfera de Portugal, que decorreu na ilha de São Jorge, a mais recente reserva da biosfera dos Açores.

“Depois de, no ano passado termos recebido a primeira edição deste festival, na ilha Graciosa, foi de facto com grande satisfação que o Governo Regional dos Açores, colaborou na realização da segunda edição, desta vez na Reserva da Biosfera das Fajãs de São Jorge, contando ainda com eventos-espelho promovidos também nas restantes 3 reservas da biosfera dos Açores, Graciosa, Flores e Corvo”, declarou o governante.

O titular da pasta do Ambiente esclareceu que,” a classificação dos territórios como Reservas da Biosfera pela UNESCO, tem como objetivo proteger e valorizar o património natural e cultural, bem como promover um usufruto equilibrado e o desenvolvimento de modelos de gestão sustentáveis, que reúnam os governos e as sociedades locais”.

“E efetivamente os Açores têm um património natural, histórico, cultural identitário único, razão pela qual temos quatro ilhas classificadas como reservas da biosfera”, sublinhou, acrescentando que a Região “é uma das poucas do mundo designadas por MIDAS - Multi-Internationally Designated Areas - que incluem os Sítios Ramsar, Sítios Património Mundial da Humanidade, Reservas da Biosfera e Geoparques Mundiais da UNESCO”.

De acordo com Alonso Miguel, “este festival e estas celebrações constituem, um marco relevante para a consciencialização sobre a importância das Reservas da Biosfera em Portugal e em todo o mundo, dando, nesse sentido, também, um importante contributo para a proteção, promoção e valorização da cultura, das tradições e do património natural”.

O governante destacou que a ilha de São Jorge “tem, de facto, muito para oferecer, designadamente as suas belezas naturais, paisagens deslumbrantes e fajãs paradisíacas, as suas tradições e a hospitalidade das suas gentes, o seu património cultural e histórico, bem como a sua gastronomia e produtos únicos, muitos dos quais ostentam o selo da marca biosfera Açores, como o atum, espécies e a doçaria tradicional, o café, e claro, o queijo de São Jorge”.

“Esta é, uma excelente oportunidade para que os jorgenses, e quem nos visita, possam aprender, partilhar e apreciar o que a sua terra tem para oferecer, para valorizar a importância da conservação e da sustentabilidade”, constatou.

Alonso Miguel deixou um compromisso de que da parte do Governo Regional, e concretamente no âmbito das competências da Secretaria Regional do Ambiente e Ação Climática, em proteger e valorizar todos estes aspetos que distinguem os Açores, “sobretudo do ponto de vista da qualidade ambiental e da conservação da natureza”.

Para além da implementação em curso do Plano de Ação da Reserva da Biosfera das Fajãs de São Jorge, o Secretário Regional destacou alguns dos investimentos realizados na ilha, como “a reestruturação e apetrechamento do Centro de Processamento de Resíduos, concluída em 2023 e que representou um investimento de cerca de 900 mil euros, ou os avultados investimentos feitos nas fajãs, como os que se verificaram recentemente na Caldeira de Santo Cristo, com a criação de uma zona de apoio à visitação, acolhimento e descanso e a requalificação dos trilhos tradicionais da Fajã, que, no seu conjunto, representam um investimento de cerca de 700 mil euros, ou ainda as empreitadas de estabilização e proteção costeira das Fajãs João Dias e das Pontas, num investimento global de cerca 1,8 milhões de euros, e que muito vêm contribuir para a valorização destas fajãs e para a segurança e bem-estar dos seus frequentadores”.

Para além da forte aposta na educação e sensibilização ambiental, Alonso Miguel sinalizou ainda os esforços feitos pelos Serviço de Ambiente e Alterações Climáticas e pelo técnicos da Secretaria na conservação das áreas naturais e na preservação da biodiversidade, destacando a importância dos investimentos realizados no âmbito dos projetos LIFE em curso na Região e com áreas de intervenção na ilha, bem como o empenho na melhoria e manutenção dos “magníficos trilhos” da ilha de São Jorge, para os quais a Secretaria adquiriu equipamentos adequados.

O programa do II Festival das Reservas da Biosfera de Portugal conta com o envolvimento do Programa Man & Biosphere (MaB) da UNESCO, bem como com a dinamização de um vasto conjunto de iniciativas, designadamente exposições, ‘workshops’, trilhos e visitas guiadas, com vista a sensibilizar a população em geral para a importância das Reservas da Biosfera, do desenvolvimento sustentável e da conservação e valorização do património natural e cultural, tendo como ponto alto o Seminário “Territórios Sustentáveis, comunidades resilientes”, que abordou temas relacionados com a gestão de reservas da biosfera, a cátedra UNESCO, sustentabilidade, transição energética e ecológica, turismo e desenvolvimento económico, contando com um painel de oradores composto por académicos, investigadores, empresários, gestores e técnicos da administração pública, e cujo encerramento ficou a cargo da Diretora Regional do Ambiente e Ação Climática, Ana Rodrigues.

© Governo dos Açores | Fotos: SRAAC

Partilhar