11 de Setembro 2023 - Publicado há 310 dias, 1 horas
Alonso Miguel visita trabalhos em curso para reposição da normalidade nas margens da Lagoa das Sete Cidades após intempérie de agosto
location Ponta Delgada

Secretaria Regional do Ambiente e Ação Climática

O Secretário Regional do Ambiente e Alterações Climáticas, Alonso Miguel, visitou os trabalhos a decorrer nas margens da Lagoa das Sete Cidades para resolução dos impactes verificados na sequência da intempérie ocorrida a dia 20 de agosto de 2023.

O governante explicou que a generalidade dos materiais acumulados nas margens da Lagoa das Sete Cidades surge na sequência da intempérie verificada no passado dia 20 de agosto, ao contrário do que alguns, “com grandes responsabilidades e irresponsabilidades governativas na Região nos últimos 24 anos, têm propalado nas redes sociais”.

“Tendo os impactos mais severos ocorrido nas freguesias dos Remédios da Bretanha, Santo António, Ajuda da Bretanha, Capelas, Ginetes e Mosteiros, no concelho de Ponta Delgada, naturalmente, a Secretaria Regional do Ambiente e Alterações Climáticas colocou a prioridade dos seus esforços mais imediatos na resolução dos problemas verificados nessas freguesias, sendo que a grande quantidade de materiais arrastados e depositados em grotas a montante dos aglomerados populacionais dessas freguesias, aumentava consideravelmente o risco a que as populações estariam sujeitas em caso de novas ocorrências”, esclareceu Alonso Miguel.

E continuou: “nesse sentido, a totalidade das equipas operacionais dirigidas pela Direção Regional do Ordenamento do Território e Recursos Hídricos, incluindo a das Sete Cidades, foram estrategicamente mobilizadas para as necessárias intervenções nessas freguesias, atendendo à urgência na resolução das situações mais preocupantes”.

“Com certeza que a remoção dos materiais acumulados e o arranjo paisagístico das margens da lagoa das Sete Cidades, que já estão a ser realizadas, são também intervenções importantes, não se tratando, porém, das intervenções prioritárias ou mais urgentes, sobretudo quando comparadas com as situações verificadas nos locais mais afetados, porque não representavam perigo imediato para as populações”, assegurou o Secretário do Ambiente e Alterações Climáticas.

O responsável pela pasta do Ambiente asseverou que “parte da equipa operacional das Sete Cidades já se encontra de regresso e a promover as intervenções naquela zona desde segunda-feira passada”.

“Para além disso, logo no dia 23 de agosto, ou seja, três dias depois da intempérie, e com recurso a contratação de serviço externo, deu-se início à intervenção para desobstrução e limpeza da bacia de retenção grande das Sete Cidades, visando reduzir o risco de novas ocorrências, sendo que esse procedimento já está concluído”, revelou Alonso Miguel.

Alonso Miguel avançou ainda que a bacia de retenção do Canto dos Carneiros estava completamente limpa antes da intempérie, sendo que, neste momento, decorre novamente o trabalho de limpeza desta bacia, por parte da equipa operacional da Direção Regional do Ordenamento do Território e Recursos Hídricos, atendendo a que foram arrastados volumes consideráveis de materiais resultantes de derrocadas verificadas na zona das Criações e da Grota do Inferno, assim como grandes quantidades de madeira proveniente dos cortes florestais realizados dentro da bacia hidrográfica.

“Neste momento já está também em curso a desobstrução do acesso ao canal do túnel de descarga da lagoa e estão, também, em execução as intervenções de limpeza do material arrastado e acumulado no Caminho dos Arrebentões, bem como no canal de descarga da bacia grande”, disse Alonso Miguel.

O Secretário Regional acrescentou que “no final do canal de descarga da bacia de retenção grande, será construída uma passagem a vau, em detrimento da ponte pedonal do trilho existente, que foi destruída precisamente no âmbito de uma intempérie, há cerca de um ano. Trata-se, efetivamente, de uma solução mais eficaz, segura e duradoura naquele contexto”.

Alonso Miguel conclui referindo que “os trabalhos em curso para reposição da normalidade nas margens da Lagoa das Setes Cidades deverão ficar concluídos no espaço de duas a três semanas”.         

A acompanhar o Secretário Regional esteve o Diretor Regional do Ordenamento do Território e dos Recursos Hídricos, Emanuel Barcelos.

© Governo dos Açores | Fotos: SRAAC

Partilhar